Incêndios em três igrejas no Egito causam desconfiança: “Não são coincidência”

Nas últimas semanas, três igrejas coptas foram incendiadas no Egito.

Para os líderes da igreja, os incêndios não foram uma coincidência.

No dia 1º de novembro a Igreja de Mar-Girgis al-Gyoushi, no distrito de Shubra, na capital Cairo, teve uma sala incendiada.

O fogo foi contido antes que causasse danos irreparáveis.

No dia 16 de outubro a Igreja Ortodoxa Mar-Girgis em Mansoura, 120 km a nordeste do Cairo, também foi incendiada.

Cinco pessoas ficaram feridas, entre elas dois bombeiros que trabalhavam para apagar as chamas.

Três dias antes outra igreja Mar Girgis, desta vez no distrito de Helwan, sul do Cairo, foi destruída pelo fogo.

Não houve feridos.

Algumas pessoas falam que as três igrejas foram incendiadas por conta de falhas elétricas, mas os líderes questionam essa teoria.

O padre Samul Mohsen, da Igreja de Mar Girgis, em Mansoura, disse ao World Watch Monitor que as imagens de CCTV sugeriam que algo foi jogado no telhado do mercado de vegetais atrás da igreja.

O padre Armia Iskandar, que é engenheiro elétrico formado, diz que é improvável que um curto-circuito tenha causado os incêndios.

Uma fonte local, que não quis ser identificada por razões de segurança, disse ao WWM que, pouco antes dos incidentes, a segurança nacional egípcia havia pedido às igrejas que verificassem se suas câmeras de CFTV estavam funcionando corretamente.

“Isso indica que a segurança nacional tinha informações sugerindo que algumas igrejas no Egito seriam atacadas”, disse a fonte.

Categoria:Internacional