China obriga identificação digital de membros de igreja

A igreja Three-Self, que sofre forte influência do governo da China, está implantando um sistema de reconhecimento facial de seus fiéis na cidade Urumqi, capital da região de Uigur de Xinjiang.

Apenas os membros cadastrados poderão entrar no culto e o método de identificação digital será introduzido em igrejas de outras cidades chinesas nos próximos meses.

Desde outubro a Igreja Muyang, em Hubei, tem cadastrado seus fiéis.

O ministério Bitter Winter revela que os equipamentos de reconhecimento digital fica no segundo andar e os fiéis formam filas para terem seus rostos e impressões digitais escaneados para que eles possam participar do culto.

Na igreja de Tian’en também foram instalados equipamentos de reconhecimento facial.

Uma fonte revelou o Bitter Winter que na cidade de Huangshi os conselhos cristãos locais ordenaram o registro das impressões digitais dos crentes e suas informações pessoais e familiares no sistema.

O frequentador da igreja ficou perturbado com a ordem, uma vez que o requisito não apenas coloca os membros das congregações sob constante monitoramento e vigilância do governo, mas também pode implicar seus familiares e parentes.

Ele acrescentou que os parentes que são funcionários públicos ou membros do Partido Comunista provavelmente seriam punidos ou teriam restrições impostas a suas atividades; ele acredita também que isso pode afetar negativamente sua promoção no trabalho.

O site declara que o uso de alta tecnologia se tornou uma ferramenta essencial para o Partido Comunista da China regular e suprimir a crença religiosa.

Ao contrário das igrejas domésticas, os membros das igrejas Three-Self têm permissão para realizar reuniões religiosas.

Porém são vigiados por esses sistemas de vigilância intrusivos.

Categoria:Internacional